This page is also available in English, Chinese, French, German, Hungarian, Korean, Portuguese (European), Russian, Spanish and Japanese.

Introdução

Atenção: Este documento é apenas uma tradução da versão em inglês e pode estar desatualizado.

Alguns dos trechos de códigos a seguir utilizam caracteres UTF-8, então caso esteja utilizando uma versão de ruby inferior a 2.0.0 adicione o enconding no início de seus arquivos:

# encoding: utf-8

Sinatra é uma DSL para criar aplicações web em Ruby com o mínimo de esforço e rapidez:

# minha_app.rb
require 'sinatra'

get '/' do
  'Olá Mundo!'
end

Instale a gem:

gem install sinatra

Em seguida execute:

ruby minha_app.rb

Acesse: localhost:4567

É recomendado também executar gem install thin. Caso esta gem esteja disponível, o Sinatra irá utilizá-la.

Rotas

No Sinatra, uma rota é um método HTTP emparelhado com um padrão de URL. Cada rota possui um bloco de execução:

get '/' do
  .. mostrando alguma coisa ..
end

post '/' do
  .. criando alguma coisa ..
end

put '/' do
  .. atualizando alguma coisa ..
end

patch '/' do
  .. modificando alguma coisa ..
end

delete '/' do
  .. removendo alguma coisa ..
end

options '/' do
  .. estabelecendo alguma coisa ..
end

As rotas são interpretadas na ordem em que são definidas. A primeira rota encontrada responde ao pedido.

Padrões de rota podem conter parâmetros nomeados, acessível através do hash params:

get '/ola/:nome' do
  # corresponde a "GET /ola/foo" e "GET /ola/bar"
  # params[:nome] é 'foo' ou 'bar'
  "Olá #{params[:nome]}!"
end

Você também pode acessar parâmetros nomeados através dos parâmetros de um bloco:

get '/ola/:nome' do |n|
  "Olá #{n}!"
end

Padrões de rota também podem conter parâmetros splat (wildcard), acessível através do array params[: splat]:

get '/diga/*/para/*' do
  # corresponde a /diga/ola/para/mundo
  params[:splat] # => ["ola", "mundo"]
end

get '/download/*.*' do
  # corresponde a /download/pasta/do/arquivo.xml
  params[:splat] # => ["pasta/do/arquivo", "xml"]
end

Ou com parâmetros de um bloco:

get '/download/*.*' do |pasta, ext|
  [pasta, ext] # => ["pasta/do/arquivo", "xml"]
end

Rotas podem corresponder com expressões regulares:

get %r{/ola/([\w]+)} do
  "Olá, #{params[:captures].first}!"
end

Ou com parâmetros de um bloco:

get %r{/ola/([\w]+)} do |c|
  "Olá, #{c}!"
end

Padrões de rota podem contar com parâmetros opcionais:

get '/posts.?:formato?' do
  # corresponde a "GET /posts" e qualquer extensão "GET /posts.json", "GET /posts.xml", etc.
end

A propósito, a menos que você desative a proteção contra ataques (veja abaixo), o caminho solicitado pode ser alterado antes de concluir a comparação com as suas rotas.

Condições

Rotas podem incluir uma variedade de condições, tal como o user agent:

get '/foo', :agent => /Songbird (\d\.\d)[\d\/]*?/ do
  "Você está usando o Songbird versão #{params[:agent][0]}"
end

get '/foo' do
  # Correspondente a navegadores que não sejam Songbird
end

Outras condições disponíveis são host_name e provides:

get '/', :host_name => /^admin\./ do
  "Área administrativa. Acesso negado!"
end

get '/', :provides => 'html' do
  haml :index
end

get '/', :provides => ['rss', 'atom', 'xml'] do
  builder :feed
end

Você pode facilmente definir suas próprias condições:

set(:probabilidade) { |valor| condition { rand <= valor } }

get '/ganha_um_carro', :probabilidade => 0.1 do
  "Você ganhou!"
end

get '/ganha_um_carro' do
  "Sinto muito, você perdeu."
end

Use splat, para uma condição que levam vários valores:

set(:auth) do |*roles|   # <- observe o splat aqui
  condition do
    unless logged_in? && roles.any? {|role| current_user.in_role? role }
      redirect "/login/", 303
    end
  end
end

get "/minha/conta/", :auth => [:usuario, :administrador] do
  "Detalhes da sua conta"
end

get "/apenas/administrador/", :auth => :administrador do
  "Apenas administradores são permitidos aqui!"
end

Retorno de valores

O valor de retorno do bloco de uma rota determina pelo menos o corpo da resposta passado para o cliente HTTP, ou pelo menos o próximo middleware na pilha Rack. Frequentemente, isto é uma string, tal como nos exemplos acima. Mas, outros valores também são aceitos.

Você pode retornar uma resposta válida ou um objeto para o Rack, sendo eles de qualquer tipo de objeto que queira. Além disto, é possível retornar um código de status HTTP.

Dessa forma, podemos implementar facilmente um exemplo de streaming:

class Stream
  def each
    100.times { |i| yield "#{i}\n" }
  end
end

get('/') { Stream.new }

Você também pode usar o método auxiliar stream (descrito abaixo) para incorporar a lógica de streaming na rota.

Custom Route Matchers

Como apresentado acima, a estrutura do Sinatra conta com suporte embutido para uso de padrões de String e expressões regulares como validadores de rota. No entanto, ele não pára por aí. Você pode facilmente definir os seus próprios validadores:

class AllButPattern
  Match = Struct.new(:captures)

  def initialize(except)
    @except   = except
    @captures = Match.new([])
  end

  def match(str)
    @captures unless @except === str
  end
end

def all_but(pattern)
  AllButPattern.new(pattern)
end

get all_but("/index") do
  # ...
end

Note que o exemplo acima pode ser robusto e complicado em excesso. Pode também ser implementado como:

get // do
  pass if request.path_info == "/index"
  # ...
end

Ou, usando algo mais denso à frente:

get %r{^(?!/index$)} do
  # ...
end

Arquivos estáticos

Arquivos estáticos são disponibilizados a partir do diretório ./public. Você pode especificar um local diferente pela opção :public_folder

set :public_folder, File.dirname(__FILE__) + '/estatico'

Note que o nome do diretório público não é incluido na URL. Um arquivo ./public/css/style.css é disponibilizado como http://example.com/css/style.css.

Views / Templates

Templates presumem-se estar localizados sob o diretório ./views. Para utilizar um diretório view diferente:

set :views, File.dirname(__FILE__) + '/modelo'

Uma coisa importante a ser lembrada é que você sempre tem as referências dos templates como símbolos, mesmo se eles estiverem em um sub-diretório (nesse caso utilize :'subdir/template'). Métodos de renderização irão processar qualquer string passada diretamente para elas.

Haml Templates

A gem/biblioteca haml é necessária para renderizar templates HAML:

# Você precisa do 'require haml' em sua aplicação.
require 'haml'

get '/' do
  haml :index
end

Renderiza ./views/index.haml.

Opções Haml podem ser setadas globalmente através das configurações do sinatra, veja Opções e Configurações, e substitua em uma requisição individual.

set :haml, {:format => :html5 } # o formato padrão do Haml é :xhtml

get '/' do
  haml :index, :haml_options => {:format => :html4 } # substituido
end

Erb Templates

# Você precisa do 'require erb' em sua aplicação
require 'erb'

get '/' do
  erb :index
end

Renderiza ./views/index.erb

Erubis

A gem/biblioteca erubis é necessária para renderizar templates erubis:

# Você precisa do 'require erubis' em sua aplicação.
require 'erubis'

get '/' do
  erubis :index
end

Renderiza ./views/index.erubis

Builder Templates

A gem/biblioteca builder é necessária para renderizar templates builder:

# Você precisa do 'require builder' em sua aplicação.
require 'builder'

get '/' do
  content_type 'application/xml', :charset => 'utf-8'
  builder :index
end

Renderiza ./views/index.builder.

Sass Templates

A gem/biblioteca sass é necessária para renderizar templates sass:

# Você precisa do 'require haml' ou 'require sass' em sua aplicação.
require 'sass'

get '/stylesheet.css' do
  content_type 'text/css', :charset => 'utf-8'
  sass :stylesheet
end

Renderiza ./views/stylesheet.sass.

Opções Sass podem ser setadas globalmente através das configurações do sinatra, veja Opções e Configurações, e substitua em uma requisição individual.

set :sass, {:style => :compact } # o estilo padrão do Sass é :nested

get '/stylesheet.css' do
  content_type 'text/css', :charset => 'utf-8'
  sass :stylesheet, :style => :expanded # substituido
end

Less Templates

A gem/biblioteca less é necessária para renderizar templates Less:

# Você precisa do 'require less' em sua aplicação.
require 'less'

get '/stylesheet.css' do
  content_type 'text/css', :charset => 'utf-8'
  less :stylesheet
end

Renderiza ./views/stylesheet.less.

Inline Templates

get '/' do
  haml '%div.title Olá Mundo'
end

Renderiza a string, em uma linha, no template.

Acessando Variáveis nos Templates

Templates são avaliados dentro do mesmo contexto como manipuladores de rota. Variáveis de instância setadas em rotas manipuladas são diretamente acessadas por templates:

get '/:id' do
  @foo = Foo.find(params[:id])
  haml '%h1= @foo.nome'
end

Ou, especifique um hash explícito para variáveis locais:

get '/:id' do
  foo = Foo.find(params[:id])
  haml '%h1= foo.nome', :locals => { :foo => foo }
end

Isso é tipicamente utilizando quando renderizamos templates como partials dentro de outros templates.

Templates Inline

Templates podem ser definidos no final do arquivo fonte(.rb):

require 'rubygems'
require 'sinatra'

get '/' do
  haml :index
end

__END__

@@ layout
%html
  = yield

@@ index
%div.title Olá Mundo!!!!!

NOTA: Templates inline definidos no arquivo fonte são automaticamente carregados pelo sinatra. Digite `enable :inline_templates` se você tem templates inline no outro arquivo fonte.

Templates nomeados

Templates também podem ser definidos utilizando o método top-level template:

template :layout do
  "%html\n  =yield\n"
end

template :index do
  '%div.title Olá Mundo!'
end

get '/' do
  haml :index
end

Se existir um template com nome “layout”, ele será utilizado toda vez que um template for renderizado. Você pode desabilitar layouts passando :layout => false.

get '/' do
  haml :index, :layout => !request.xhr?
end

Helpers

Use o método de alto nível helpers para definir métodos auxiliares para utilizar em manipuladores de rotas e modelos:

helpers do
  def bar(nome)
    "#{nome}bar"
  end
end

get '/:nome' do
  bar(params[:nome])
end

Filtros

Filtros Before são avaliados antes de cada requisição dentro do contexto da requisição e pode modificar a requisição e a reposta. Variáveis de instância setadas nos filtros são acessadas através de rotas e templates:

before do
  @nota = 'Oi!'
  request.path_info = '/foo/bar/baz'
end

get '/foo/*' do
  @nota #=> 'Oi!'
  params[:splat] #=> 'bar/baz'
end

Filtros After são avaliados após cada requisição dentro do contexto da requisição e também podem modificar o pedido e a resposta. Variáveis de instância definidas nos filtros before e rotas são acessadas através dos filtros after:

after do
  puts response.status
end

Filtros opcionalmente tem um padrão, fazendo com que sejam avaliados somente se o caminho do pedido coincidir com esse padrão:

before '/protected/*' do
  authenticate!
end

after '/create/:slug' do |slug|
  session[:last_slug] = slug
end

Halting

Para parar imediatamente uma requisição com um filtro ou rota utilize:

halt

Você também pode especificar o status quando parar…

halt 410

Ou com corpo de texto…

halt 'isso será o corpo do texto'

Ou também…

halt 401, 'vamos embora!'

Com cabeçalhos…

halt 402, {'Content-Type' => 'text/plain'}, 'revanche'

Passing

Uma rota pode processar aposta para a próxima rota correspondente usando pass:

get '/adivinhar/:quem' do
  pass unless params[:quem] == 'Frank'
  'Você me pegou!'
end

get '/adivinhar/*' do
  'Você falhou!'
end

O bloqueio da rota é imediatamente encerrado e o controle continua com a próxima rota de parâmetro. Se o parâmetro da rota não for encontrado, um 404 é retornado.

Configuração

Rodando uma vez, na inicialização, em qualquer ambiente:

configure do
  ...
end

Rodando somente quando o ambiente (RACK_ENV environment variável) é setado para :production:

configure :production do
  ...
end

Rodando quando o ambiente é setado para :production ou :test:

configure :production, :test do
  ...
end

Tratamento de Erros

Tratamento de erros rodam dentro do mesmo contexto como rotas e filtros before, o que significa que você pega todos os presentes que tem para oferecer, como haml, erb, halt, etc.

Não Encontrado

Quando um Sinatra::NotFound exception é levantado, ou o código de status da reposta é 404, o not_found manipulador é invocado:

not_found do
  'Isto está longe de ser encontrado'
end

Erro

O manipulador error é invocado toda a vez que uma exceção é lançada a partir de um bloco de rota ou um filtro. O objeto da exceção pode ser obtido a partir da variável Rack sinatra.error:

error do
  'Desculpe, houve um erro desagradável - ' + env['sinatra.error'].name
end

Erros customizados:

error MeuErroCustomizado do
  'Então que aconteceu foi...' + env['sinatra.error'].message
end

Então, se isso acontecer:

get '/' do
  raise MeuErroCustomizado, 'alguma coisa ruim'
end

Você receberá isso:

Então que aconteceu foi... alguma coisa ruim

Alternativamente, você pode instalar manipulador de erro para um código de status:

error 403 do
  'Accesso negado'
end

get '/secreto' do
  403
end

Ou um range:

error 400..510 do
  'Boom'
end

O Sinatra instala os manipuladores especiais not_found e error quando roda sobre o ambiente de desenvolvimento.

Mime Types

Quando utilizamos send_file ou arquivos estáticos você pode ter mime types Sinatra não entendidos. Use mime_type para registrar eles por extensão de arquivos:

mime_type :foo, 'text/foo'

Você também pode utilizar isto com o helper content_type:

content_type :foo

Middleware Rack

O Sinatra roda no Rack, uma interface padrão mínima para frameworks web em Ruby. Um das capacidades mais interessantes do Rack para desenvolver aplicativos é suporte a “middleware” – componentes que ficam entre o servidor e sua aplicação monitorando e/ou manipulando o request/response do HTTP para prover vários tipos de funcionalidades comuns.

O Sinatra faz construtores pipelines do middleware Rack facilmente em um nível superior utilizando o método use:

require 'sinatra'
require 'meu_middleware_customizado'

use Rack::Lint
use MeuMiddlewareCustomizado

get '/ola' do
  'Olá mundo'
end

A semântica de use é idêntica aquela definida para a DSL Rack::Builder (mais frequentemente utilizada para arquivos rackup). Por exemplo, o método use aceita múltiplos argumentos/variáveis bem como blocos:

use Rack::Auth::Basic do |usuario, senha|
  usuario == 'admin' && senha == 'secreto'
end

O Rack é distribuido com uma variedade de middleware padrões para logs, debugs, rotas de URL, autenticação, e manipuladores de sessão. Sinatra utilizada muitos desses componentes automaticamente baseando sobre configuração, então, tipicamente você não tem use explicitamente.

Testando

Testes no Sinatra podem ser escritos utilizando qualquer biblioteca ou framework de teste baseados no Rack. Rack::Test é recomendado:

require 'minha_aplicacao_sinatra'
require 'rack/test'

class MinhaAplicacaoTeste < Test::Unit::TestCase
  include Rack::Test::Methods

  def app
    Sinatra::Application
  end

  def meu_test_default
    get '/'
    assert_equal 'Ola Mundo!', last_response.body
  end

  def teste_com_parametros
    get '/atender', :name => 'Frank'
    assert_equal 'Olá Frank!', last_response.bodymeet
  end

  def test_com_ambiente_rack
    get '/', {}, 'HTTP_USER_AGENT' => 'Songbird'
    assert_equal "Você está utilizando o Songbird!", last_response.body
  end
end

NOTA: Os módulos de classe embutidos Sinatra::Test e Sinatra::TestHarness são depreciados na versão 0.9.2.

Sinatra::Base - Middleware, Bibliotecas e aplicativos modulares

Definir sua aplicação em um nível superior de trabalho funciona bem para micro aplicativos, mas tem consideráveis incovenientes na construção de componentes reutilizáveis como um middleware Rack, metal Rails, bibliotecas simples como um componente de servidor, ou mesmo extensões Sinatra. A DSL de nível superior polui o espaço do objeto e assume um estilo de configuração de micro aplicativos (exemplo: uma simples arquivo de aplicação, diretórios ./public e ./views, logs, página de detalhes de exceção, etc.). É onde o Sinatra::Base entra em jogo:

require 'sinatra/base'

class MinhaApp < Sinatra::Base
  set :sessions, true
  set :foo, 'bar'

  get '/' do
    'Ola mundo!'
  end
end

A classe MinhaApp é um componente Rack independente que pode agir como um middleware Rack, uma aplicação Rack, ou metal Rails. Você pode utilizar ou executar esta classe com um arquivo rackup config.ru; ou, controlar um componente de servidor fornecendo como biblioteca:

MinhaApp.run! :host => 'localhost', :port => 9090

Os métodos disponíveis para subclasses Sinatra::Base são exatamente como aqueles disponíveis via a DSL de nível superior. Aplicações de nível mais alto podem ser convertidas para componentes Sinatra::Base com duas modificações:

Sinatra::Base é um quadro branco. Muitas opções são desabilitadas por padrão, incluindo o servidor embutido. Veja Opções e Configurações para detalhes de opções disponíveis e seus comportamentos.

SIDEBAR: A DSL de alto nível do Sinatra é implementada utilizando um simples sistema de delegação. A classe Sinatra::Application – uma subclasse especial da Sinatra::Base – recebe todos os :get, :put, :post, :delete, :before, :error, :not_found, :configure, e :set messages enviados para o alto nível. Dê uma olhada no código você mesmo: aqui está o Sinatra::Delegator mixin sendo incluido dentro de um espaço principal

Linha de Comando

Aplicações Sinatra podem ser executadas diretamente:

ruby minhaapp.rb [-h] [-x] [-e AMBIENTE] [-p PORTA] [-o HOST] [-s SERVIDOR]

As opções são:

-h # ajuda
-p # define a porta (padrão é 4567)
-o # define o host (padrão é 0.0.0.0)
-e # define o ambiente (padrão é development)
-s # especifica o servidor/manipulador rack (padrão é thin)
-x # ativa o bloqueio (padrão é desligado)

A última versão

Se você gostaria de utilizar o código da última versão do Sinatra, crie um clone local e execute sua aplicação com o diretório sinatra/lib no LOAD_PATH:

cd minhaapp
git clone git://github.com/sinatra/sinatra.git
ruby -I sinatra/lib minhaapp.rb

Alternativamente, você pode adicionar o diretório do sinatra/lib no LOAD_PATH do seu aplicativo:

$LOAD_PATH.unshift File.dirname(__FILE__) + '/sinatra/lib'
require 'rubygems'
require 'sinatra'

get '/sobre' do
  "Estou rodando a versão" + Sinatra::VERSION
end

Para atualizar o código do Sinatra no futuro:

cd meuprojeto/sinatra
git pull

Mais

Fork me on GitHub